Resenha: Suicidas

30182867

O pensamentos sem nexo estreia hoje uma nova categoria no blog, um espaço para falar dos livros que ando lendo e que indico. E nada melhor para estrear esse espaço do que um ótimo policial, daqueles que te deixa ansiosa, querendo virar cada página para descobrir logo o que vem a seguir; e o melhor, um livro policial escrito por um autor brasileiro. Estou falando de Suicidas, do Raphael Montes, publicado pela editora Benvirá.

Pela sinopse já temos uma ideia de que fortes emoções nos aguardam. E não somos decepcionados. Um ano depois do trágico evento, que terminou de forma violenta e bizarramente misteriosa, uma nova pista, até então mantida em segredo pela polícia, ilumina o nebuloso caso. Sob o comando da delegada Diana Guimarães, as mães desses jovens são reunidas para tentar entender o que realmente aconteceu, e os motivos que levaram seus filhos a cometerem suicídio. Por meio da leitura das anotações feitas por um dos suicidas durante o fatídico episódio, as mães são submersas no turbilhão de momentos que culminaram na morte de seus filhos. A reunião se dá em clima de tensão absoluta, verdades são ditas sem a falsa piedade das máscaras sociais e, sorrateiramente, algo maior começa a se revelar.

Suicidas me chegou às mãos através de um amigo e apesar de eu nunca ter sido muito fã do gênero, os elogios que ouvi me deixaram curiosa e logo eu estava devorando cada linha, procurando pistas em cada parágrafo, ansiosa para retomar a leitura quando, por algum motivo, era obrigada a parar.

A escolha de três tempos narrativos paralelos e, ao mesmo tempo, de uma narrativa sob o ponto de vista de um dos personagens, talvez seja um dos grandes trunfos de Suicidas. Os três tempos nos deixam constantemente curiosos, querendo saber quem são e quais serão os próximos passos daqueles jovens aparentemente sem motivos para um gesto tão extremo. Além disso, a narrativa contada por Alê, aproxima o leitor e faz com que ele se veja envolvido com os personagens, sentindo a raiva, carinho, adoração, dúvidas que o Alê sente. E em alguns momentos, como ele, me vi questionando “será possível?”.

Em seu livro de estreia Raphael já se mostra dono de uma escrita fluida e capaz de prender o leitor, deixando-o sedento por mais e, fundamental no gênero, se mostra capaz de surpreender. Sem se preocupar com porquês ou com fazer críticas a uma juventude possivelmente vazia, Suicidas é competente e visceral no seu papel de entreter o leitor. Um livro que, definitivamente, vale a leitura e que nos faz esperar por outros ainda melhores.

Ficha técnica:

Suicidas

Autor: Raphael Montes

Editora: Benvirá

Ano de Lançamento: 2012

Número de páginas: 488

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Resenha

2 Respostas para “Resenha: Suicidas

  1. Isabella

    Gostei da dica, me fez lembra a época da minha adolescência ( li a serie vaga lume toda) hahahaha.
    Claro que esse é bem mais denso e com uma narrativa
    mais forte, gostei da indicação, com certeza vai entrar pra minha lista 🙂

    Afagos

    • tatyperry

      Saudades coleção vaga lume. Tenho alguns em casa até hoje, que já viraram leitura dos sobrinhos.
      Eu gostei muito do estilo de narrativa do livro e da forma como ele é capaz de surpreender. O autor vai lançar um novo livro nesse primeiro semestre e confesso que já estou ansiosa para ler.
      beijinhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s